(11) 4552-3020 [email protected]
Dicas de Segurança para pequenas reformas

Dicas de Segurança para pequenas reformas

“Dicas de segurança para pequenas reformas”

Pode ser a diferença entre um bom dia de trabalho ou muito ruim. Com muitas pessoas em casa e diversos conteúdos de “Faça você mesmo” ou pequenas mudanças no ambiente, nós resolvemos apresentar algumas dicas de segurança para pequenas reformas em casa.

As medidas de segurança não são menos importantes quando você está lidando com pequenos projetos em casa. Seja você um iniciante ou um proprietário experiente e prático, nunca é demais tomar algumas precauções para que você possa trabalhar com conforto e segurança.


Prevenir incêndios

Sempre mantenha um extintor em funcionamento. Tenha cuidado com panos oleosos ou revestidos com solvente e guarde-os em um recipiente hermético de metal com tampa, de preferência meio cheio com água. Descarte os panos de acordo com as diretrizes da sua comunidade. Para quem reside em apartamento, é bem provável que no corredor do seu andar tenha um extintor.

Sempre use grampos para segurar a madeira

Proteja suas mãos e nunca as use para segurar a madeira com a qual você está trabalhando. Invista em uma boa variedade de braçadeiras de médio porte, para que você sempre tenha a mão certa à mão.

Mantenha um kit de primeiros socorros à mão

Como boa prática geral, mantenha um kit básico de primeiros socorros em qualquer área da casa em que estiver trabalhando – sua garagem, cozinha, oficina, galpão ao ar livre, etc.

Manter iluminação adequada

Em sua casa, a iluminação pode ser um problema de design. Mas na sua garagem, quartinho dos fundos ou estoque – é tudo sobre segurança.

Trabalhe com iluminação superior brilhante que você pode ligar quando entrar no seu espaço de trabalho. É sempre útil também ter iluminação de tarefas. Você pode comprar lâmpadas LED baratas na maioria das lojas de artigos para casa.

Use equipamento de proteção individual

Use óculos de segurança, proteção auditiva, luvas e, às vezes, um respirador de estilo industrial, dependendo do tipo de projeto e das ferramentas que você está usando. A melhor maneira de garantir que você realmente use equipamentos de proteção é tê-los prontamente disponíveis e à mão.

Este equipamento não é muito caro, portanto invista em alguns protetores de ouvido descartáveis, em alguns pares de óculos de segurança, luvas impermeáveis ​​descartáveis, etc. Em seguida, mantenha-os nas áreas em que planeja trabalhar.

Elimine os riscos de tropeçar

É fácil deixar a bagunça do projeto ficar longe de você, mas não é divertido quando você tropeça em uma extensão ou desliza sobre uma mancha de óleo. No final de cada dia, arrume! Então sua casa estará sempre pronta para o próximo dia. A ideia é, antes de começar qualquer reforma em casa, olhe bem os arredores e veja se está tudo sob controle.

Evite trabalhar quando estiver cansado

Está sem ânimo, já podemos dizer que você não deve operar ferramentas elétricas se estiver prejudicado por álcool ou medicamentos. Mas você sabia que estar cansado demais também pode diminuir o tempo de reação pela metade? Achamos que isso é motivo suficiente para salvar o trabalho para outro dia, quando você estiver descansado e alerta.

Sempre se vista adequadamente para o trabalho

Pode ser tentador trabalhar em chinelos quando o sol está alto no céu, mas por que correr o risco de se machucar?

Antes de iniciar qualquer trabalho que envolva ferramentas – especialmente ferramentas elétricas -, reserve alguns momentos para calçar os sapatos fechados, remover jóias penduradas e amarrar os cabelos compridos.

Leva apenas alguns minutos para se proteger. Use o bom senso, e você ficará bem.

Ventilar ao pintar

De um modo geral, a pintura está entre os projetos de pequenas reformas mais seguros em casa – apenas não se esqueça de ventilar a sala. Abra janelas e use ventiladores. Se você estiver trabalhando em um armário ou área difícil de ventilar, considere usar um respirador e trabalhar em intervalos mais curtos.

Leia o manual de instruções

Pode parecer óbvio e pode parecer uma tarefa árdua. Mas, em nossa experiência, é apenas uma boa prática ler o manual de instruções que acompanha qualquer nova ferramenta ou peça de equipamento.

Não há problema em assistir a um vídeo no YouTube ou pedir dicas a um veterano em reformas. Lembre-se de que nem todas as ferramentas e equipamentos são fabricados da mesma forma. Portanto, antes de ligar o interruptor dessa maravilhosa serra circular nova, certifique-se de entender como o seu modelo funciona.

Fique atento ao seu entorno

Mantenha crianças e animais de estimação afastados da área de trabalho ao usar ferramentas elétricas. Eles podem ficar sob os pés e distraí-lo do projeto em questão.

Além disso, sempre desconecte sua ferramenta antes de fazer ajustes nela, como trocar uma lâmina de serra. E se você desligar a energia da sua casa para trabalhar em um projeto elétrico, coloque um sinal de aviso na caixa do disjuntor para que ninguém a ligue inadvertidamente.

Coloque a segurança em primeiro lugar

Esta é realmente a regra número 1. Em essência, isso significa que nenhum trabalho ou projeto de bricolage é mais importante do que sua própria segurança e bem-estar.

Todo projeto pode esperar até você substituir os óculos de segurança quebrados ou aprender a operar adequadamente essa broca sem fio. Se você sempre colocar a segurança em primeiro lugar, terá muito sucesso com seus projetos de bricolage por muitos anos.

 

 

Fonte: Zap em Casa

Crianças x Elevadores

Crianças x Elevadores

 

Com a verticalização das cidades e o crescente número de novos edifícios em todo o País, o uso de elevadores e escadas rolantes tornou-se indispensável para a nossa mobilidade. E, como todo meio de transporte, ao usar esses equipamentos é preciso estar sempre atento às regras de segurança, especialmente quando pensamos nas crianças

Por Andreia Nolasco, Gerente de Serviços da Atlas Schinder

Em abril deste ano, a Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou um projeto de lei (PL 1.371/2020), que proíbe crianças de até 12 anos de andar sozinhas em elevadores. Em Pernambuco, a Assembleia Legislativa do estado promulgou uma lei com a mesma proibição em agosto de 2020. Já na cidade do Rio de Janeiro, a Lei Municipal nº 2.546/97 proíbe a locomoção de menores de 10 anos, se desacompanhados, sob pena de multa ao condomínio. E ainda, no estado de São Paulo, a lei de nº 12.751/98 também determina que apenas maiores de 10 anos podem utilizar os elevadores sem a presença de um adulto.

Vamos entender os motivos. Apesar de o elevador ser o meio de transporte mais seguro do mundo, crianças não têm maturidade para antever riscos e até mesmo tomar uma atitude caso algo venha a ocorrer. Geralmente, entre os pequenos, é tentador apertar vários botões, pular dentro no elevador, tentar impedir que a porte feche e brincar com o interfone. Aparentemente inofensivos, esses gestos podem danificar o equipamento, causar sua parada com a retenção dos usuários na cabina e, até mesmo, um acidente.

Vale mencionar a importância de supervisionar as crianças também ao entrar e sair do elevador. Mochilas, lancheiras, brinquedos podem ficar presos à porta e, ao tentar ‘resgatá-los’ alguém pode se ferir.

A atenção também deve ser redobrada com crianças em escadas e esteiras rolantes. Além de acompanhadas, devem estar de mãos dadas com um adulto e, se possível, segurando no corrimão com a outra mão para evitar qualquer desequilíbrio. Na descida, é importante manter a criança sempre ao lado de um adulto e, na subida, um degrau à frente, se certificando de que o pequeno não esteja pisando nas laterais do equipamento ou no vão entre os rodapés e os degraus.

Outra orientação valiosa: sentar-se nos degraus não é uma opção, é perigoso! A locomoção deve ser sempre em pé. Por fim, os calçados infantis são outro ponto de atenção. Sapatos com sola de borracha podem ter extrema aderência quando em contato com escadas e esteiras rolantes, dificultando o uso do equipamento. No caso dos tênis, a recomendação é checar se os cadarços estão bem amarrados.

Estas são orientações para a segurança de crianças nos elevadores, escadas e esteiras rolantes, tornando as viagens seguras e confortáveis para todos. Assim, a garotada estará pronta para a brincadeira no local correto, sempre!

 

Fonte: Sindiconet

Dicas Anti Golpes

Dicas Anti Golpes

As fraudes e os golpes financeiros mudam todo dia e a melhor forma de prevenção é se manter informado.

Se tiver dúvida, pare, pense e desconfie. Cuide bem do seu dinheiro e das suas senhas

1. Cuidado com as suas senhas

Não compartilhe sua senha com amigos e parentes ou encaminhe senhas por aplicativos de mensagens, e-mails ou SMS. Nunca utilize dados pessoais como senha (ex. data de aniversário, placa de carro etc.), nem números repetidos ou sequenciais (ex. 111111 ou 123456), nem anote senhas em papel, no celular ou no computador.

2. Nunca clique em links desconhecidos

Sempre confira a origem das mensagens ao receber promoções e e-mails que se dizem do banco. Nunca clique em links de promoções muito vantajosas ou que peçam sincronização, atualização, manutenção de token, app ou cadastro. O banco nunca envia e-mails informando que sua conta foi invadida e pede para enviar os seus dados.

3. Cuidado em compras online

Dê preferência a sites conhecidos e confira sempre se o endereço do site é o verdadeiro. Para garantir, não clique em links, digite o endereço no navegador. Sempre use o cartão virtual para realizar compras na internet.

4. Cuidado com o que compartilha nas redes sociais

Um simples post pode dar muitas informações sobre você para golpistas. O que você compartilha pode ajudar bandidos a conhecer seu perfil e comportamento.

5. Cuidados com seu cartão

Nunca entregue seu cartão a ninguém. Os bancos não pedem os cartões de volta, mesmo se houver a possibilidade de fraude ou defeito. Eles também não mandam um portador buscar seu cartão.

6. Ative duplo fator de autenticação

Sempre ative a função de segurança “duplo fator de autenticação” em suas contas na internet que oferecem essa opção: e-mail, redes sociais, aplicativos, sistemas operacionais etc.

7. Confira seu cartão após uma compra

Ao terminar de realizar uma compra na maquininha, verifique o nome no cartão para ter certeza de que realmente é o seu. Sempre confira o valor na maquininha antes de digitar a sua senha. E proteja o código de segurança.

8. Cuidado nas operações bancárias

Sempre confira o nome do recebedor ao pagar um boleto, realizar transferências ou Pix.

9. Não fotografe ou filme a tela do caixa eletrônico ao usá-lo

Nunca envie fotos, vídeos ou capturas de tela pelo celular. Se precisar de auxílio no caixa eletrônico, peça ajuda a um funcionário do banco devidamente identificado.

10. Atenção com ligações

Se receber contato em nome do banco solicitando para ligar para sua Central de Atendimento, ligue a partir de outro aparelho, assim evita que o golpista “prenda” a sua linha telefônica e nunca informe suas senhas.

Fonte: Febraban

Saiba o que fazer caso caia no golpe do Pix

Saiba o que fazer caso caia no golpe do Pix

Os golpes aplicados em transferências bancárias realizadas por Pix, infelizmente, já viraram conhecidos dos brasileiros.

Ao mesmo tempo em que a ferramenta facilitou as transações bancárias, aumentou os riscos de fraudes em ambientes digitais. Porém, também é verdade que ficou mais fácil de achar os culpados.

Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), por esse motivo, a instituição e os bancos associados “estão reforçando suas ações de comunicação para orientar seus clientes caso sejam vítimas de algum crime”.

A Febraban ressalta que “todas as transações do Pix são totalmente rastreáveis, e, no caso de irregularidades, todos os envolvidos serão identificados e responderão pelos delitos”.

Mas como agir quando for vítima de golpe no Pix?

Em caso de golpe aplicado pelo smartphone, o cliente deve notificar imediatamente o banco para que medidas adicionais de segurança sejam adotadas, como o bloqueio do aplicativo da instituição financeira e da senha de acesso.

Se o celular for furtado ou roubado, é preciso avisar a operadora de telefonia para bloquear, também, a linha telefônica. Um boletim de ocorrência também deve ser registrado para “dar visibilidade ao crime, ajudar nas investigações policias, permitindo, posteriormente, a identificação e as prisões de quadrilhas de criminosos”.

De acordo com a Febraban, “os bancos mantêm uma estreita parceria com governos, polícias (Civil, Militar e Federal) e com o Poder Judiciário no combate à criminalidade, propondo novos padrões de proteção, fornecendo dados e informações que permitem às autoridades agirem na identificação dos responsáveis pelos crimes através do uso de transações bancárias”.

Como se proteger?

  • Revise e configure o limite do Pix

A Febraban indica — como primeiro passo para a proteção contra golpes — a consulta frequente do limite no sistema de pagamento instantâneo, ou seja, o usuário deve sempre ficar atento ao valor disponível para a realização de pagamentos, revisando e configurando o valor mais adequado para as suas transações financeiras.

  • Aplicativos bancários

Outro ponto de alerta indicado pela Febraban são os aplicativos de instituições financeiras. Apesar de eles terem “segurança máxima em todas as suas etapas” e de não “haver registro de violação da segurança desses aplicativos”, a instituição pede para que os usuários tomem cuidado com o uso dos aplicativos em locais públicos e no transporte coletivo. Isso porque, se a pessoa é roubada ou furtada com o celular desbloqueado, o criminoso pode realizar pesquisas no smartphone e ter acesso às senhas cadastradas no dispositivo.

É importante, então, tomar cuidado com o local onde as suas senhas estão anotadas — como grupos de WhatsApp, e-mails ou outros aplicativos do smartphone.

A Febraban dá as seguintes dicas para aumentar a segurança dos apps:

  1. A senha do banco deve ser exclusivamente usada para acessar sua instituição financeira; nunca use a mesma senha em outros aplicativos
  2. Jamais anote senhas de acesso ao banco em blocos de notas, e-mails, mensagens de WhatsApp ou outros locais em seu celular; memorize-a para o uso
  3. Utilize sempre o procedimento de bloqueio da tela de início do celular;
  4. Nunca utilize o recurso de “lembrar/salvar senha” em navegadores e sites.

Veja quais são os golpes mais comuns com o Pix

Clonagem do Whatsapp

Nesse golpe, os criminosos enviam uma mensagem pelo WhatsApp e fingem ser de empresas em que a vítima tem cadastro. Eles pedem o código de segurança, que já foi enviado por SMS pelo aplicativo, e afirmam se tratar de uma atualização, manutenção ou confirmação de cadastro.

Com esse código, os bandidos replicam a conta de WhatsApp em outro celular. Feito isso, eles enviam mensagens para os contatos da pessoa, fazendo-se passar por ela, pedindo dinheiro emprestado por transferência via Pix.

Habilitar a “Verificação em duas etapas” no aplicativo pode reduzir os riscos de ter o WhatsApp clonado. Para isso, basta fazer o seguinte passo a passo no aplicativo:  Configurações/Ajustes > Conta > Verificação em duas etapas.

Essa configuração permite cadastrar uma senha que será solicitada periodicamente pelo app. Mas atenção: a senha não deve ser enviada para outras pessoas nem digitada em links recebidos.

Engenharia social com WhatsApp

Outra fraude comum ocorre quando o criminoso escolhe uma vítima, pega uma foto dela em redes sociais, cria uma nova conta no WhatsApp e, de alguma forma, consegue descobrir números de celulares de contatos da pessoa.

Com o número novo, o bandido manda mensagem para amigos e familiares da vítima, alegando que teve de trocar de número devido a algum problema, como, por exemplo, um assalto. Em seguida, pede uma transferência via Pix, dizendo estar em alguma situação de emergência.

A orientação da Febraban, nesse caso, é ter cuidado com a exposição de dados em redes sociais, como, por exemplo, em sorteios e promoções que pedem o número de telefone do usuário.

Outra dica é sempre certificar-se de que a pessoa realmente mudou seu número de telefone sempre que receber alguma mensagem com essa informação.

“O cliente sempre deve suspeitar quando recebe uma mensagem de algum contato que solicita dinheiro de forma urgente. Não faça o Pix ou qualquer tipo de transferência até falar com a pessoa que está solicitando o dinheiro”, orienta a federação.

Falso funcionário e falsas centrais telefônicas

Também é comum o fraudador entrar em contato com a vítima e se passar por um falso funcionário do banco ou empresa com a qual o cliente tem um relacionamento ativo. O criminoso oferece ajuda para que o cliente cadastre a chave Pix, ou diz que o usuário precisa fazer um teste com o sistema de pagamentos instantâneos para regularizar seu cadastro, e o induz a fazer uma transferência bancária.

Sobre esse golpe, a Febraban ressalta que “os dados pessoais do cliente jamais são solicitados ativamente pelas instituições financeiras, tampouco funcionários de bancos ligam para clientes para fazer testes com o Pix”. Na dúvida, a orientação é sempre procurar o banco para obter esclarecimentos.

Bug do Pix

Os criminosos também atuam por meio de um golpe do “bug” (falha que ocorre ao executar algum sistema eletrônico) do Pix. Nas redes sociais, os bandidos afirmam que graças a um “bug” no sistema de pagamentos é possível ganhar o dobro do valor que foi transferido para chaves aleatórias. Porém, ao fazer este processo, o cliente envia dinheiro para golpistas.

O próprio Banco Central já alertou que não há qualquer “bug” no Pix. A Febraban ressalta que o cliente sempre deve desconfiar de mensagens que prometem dinheiro fácil e que chegam pelas redes sociais ou e-mail.

Cadastramento de chaves

O cadastramento das chaves Pix também deve ser feito diretamente nos canais oficiais das instituições financeiras, como o aplicativo bancário, internet banking, agências ou através de contato feito pelo cliente à central de atendimento.

“O consumidor não deve clicar em links recebidos por e-mails, pelo WhatsApp, redes sociais e por mensagens de SMS, que direcionam o usuário a um suposto cadastro da chave do Pix”, diz Adriano Volpini, diretor da Comissão Executiva de Prevenção a Fraudes da Febraban.

Ele também afirma que os cuidados que o cliente deverá ter na hora de fazer uma transação por meio do Pix deverão ser os mesmos que adota ao fazer qualquer transação financeira. “Sempre é necessário checar os dados do recebedor da transação Pix (pagamento ou transferência), seja para uma pessoa ou um estabelecimento comercial”, afirma.

Fonte: Cnnbrasil

Preso no Elevador?

Preso no Elevador?

O QUE FAZER QUANDO FICAR PRESO NO ELEVADOR?

Quem é claustrofóbico e até mesmo quem não sofre com lugares totalmente fechados, têm uma coisa em comum: agonia de ficar preso no elevador. Que ninguém quer passar pela experiência é fato, mas também é uma verdade que pode acontecer com qualquer um e, se acontecer, o que fazer?!

A primeira regra é não se apavorar. A maioria das pessoas acredita que o elevador é totalmente vedado, mas a realidade é que ele tem espaços por onde o ar entra, por isso, se acontecer de você ficar preso no elevador, controle a sua respiração e fale pouco.

Se você estiver preso no elevador com outras pessoas, acalme-as e oriente-as a fazer a mesma coisa.

Quanto menos oxigênio for usado, mais ar de qualidade vocês terão para respirar. Em seguida, aperte o botão que vai alarmar a portaria, assim eles vão chamar o corpo de bombeiros, que está habilitado para abrir o elevador e tirar todos lá de dentro.

Uma péssima ideia seria tentar abrir a porta do elevador, isso sim poderia causar acidentes.

Após ter avisado a administração do condomínio, espere e aproveite o tempo “livre” para avisar os amigos e a família que você talvez demore um pouco para chegar, porque está preso no elevador.

Essa atitude é importante por dois motivos: ajuda a passar o tempo e dá uma satisfação para que as pessoas que estiverem te esperando não fiquem preocupadas.

Quando o zelador e o síndico chegarem, é importante que eles tenham as informações completas de todo o cenário: quantas pessoas estão presas no elevador, qual a situação de cada uma delas e o que cada pessoa está fazendo.

Assim que os bombeiros chegarem, o síndico deve passar todos os detalhes para os profissionais, para que eles possam abrir o elevador com segurança e todos saírem de lá mais tranquilos.

Para evitar que mais ninguém fique preso no elevador, é importante observar que o síndico e o zelador devem fazer o procedimento de segurança correto:

> travar os elevadores de todos os andares.

> colocar aviso de que o elevador está com problemas, que já está sendo consertado.

> agradecer a compreensão de todos.